A minha experiencia com”Amamentação” My “Breastfeeding” experience

 

   

Tenho noção de que este é um tema complicado para muita gente… Mas como gosto de desafios vamos a isto!

Como é sabido por todos tenho 3 filhotes, o Dinis de 11 anos, o David de 6 e o João Pedro de 7 meses. Posso-vos dizer com orgulho que amamentei os 3, uns com mais, outros com menos dificuldades e contínuo a amamentar o João. Sim porque este acto que parece tão simples para uns é complicado para outros.

Podia falar-vos apenas da minha experiência como mãe ou como ex-enfermeira no serviço de Obstetrícia, no entanto como acho que por ter sido enfermeira em tal serviço não faz de mim uma expert na amamentação vou falar em ambos os papéis, de mãe e enfermeira. Preparem-se que vai ser longo e atenção aos mais sensíveis.

 

I have a notion that this is a complicated topic for many people … But how I like challenges let’s get to it!

As it is known by all I have 3 kids, Dinis is 11 years old, David is 6 and 7 months old João Pedro. I can tell you with pride that I have nursed the 3, some with more, others with less difficulties and continue to breastfeed João. Yes because this act that seems so simple for some is complicated for others.

I could talk only about my experience as a mother or as a former nurse in the Obstetrics service, however as I think that being a nurse in such a service does not make me an expert in breastfeeding I will speak in both roles,mother and nurse. Get ready that will be long and attention to the most sensitive.

 

Pois bem, acho que mesmo antes de engravidar pela primeira vez o meu desejo era poder amamentar os meus filhos, talvez por desde sempre ouvir a minha mãe dizer que só me tinha amamentado durante 15 dias e eu andava sempre,sempre doente. Ora quem quer ver um filho doente? Acho que ninguém. Também por ser muito maternal e sempre fui muito pegada ás minhas bonecas bebés. Portanto como Taurina que sou mantive sempre as minhas ideias e convicções até ao fim. Na minha opinião o tempo de gestação é mais do que suficiente para pensarmos e nos informarmos sobre amamentação, o que ela envolve, as vantagens para a mãe , bebé e maternidade no geral. Não que se fique a saber tudo, mas pelo menos ficamos com a ideia de algumas das “tempestades e bonanças” que nos esperam,concordam?

 

Well, I think even before I became pregnant for the first time my desire was to be able to breastfeed my children, perhaps for ever hearing my mother say that I was only breastfed for 15 days and I was always, always sick. Who wants to see a sick son? I think no one.  Also for being very maternal and I have always been very close to my baby dolls. Therefore as Taurus I am always kept my ideas and convictions to the end. In my opinion gestation time is more than enough to think about and inform ourselves about breastfeeding, what it entails, the advantages for the mother, baby and motherhood in general. Not that we know everything, but at least we get the idea of some of the “storms and bonanzas” that await us, do you agree?

 

Para mim amamentar é um acto de amor e acima de tudo muita paciência, é mais do que alimentarmos os nossos bebés com anti-corpos,proteínas, gordura etc.É muito mais complexo que isso mas ao mesmo tempo tão simples. Somos todos seres diferentes, ora com mães e bebés a diferença continua, nada é igual para ninguém nem que seja por um milésimo. O que quer dizer que nem todas as mães têm que amamentar só porque sim, cada um é livre de fazer o que entende e “no hard feelings”, não é por isso que vão ser piores mães. Acredito que cada um de nós tem um potencial e amamentar pode não ser um deles. Assim como há bebés difíceis e existem contratempos que impedem a amamentação.

 

For me, breastfeeding is an act of love and above all a lot of patience, it is more than feeding our babies with anti-bodies, proteins, fat etc. It is much more complex than this but at the same time so simple. We are all different human beings, now with mothers and babies the difference continues, nothing is the same for anyone or even for a thousandth. Which means that not all mothers have to breastfeed just because yes, everyone is free to do what they want and “no hard feelings”, that’s not why you are going to be worse mothers. I believe that each and one of us has a potential and breastfeeding may not be one of them. Just as there are difficult babies and there are setbacks that prevent breastfeeding.

IMG_20180921_112225.jpg

dinis2007-014.jpg

O meu primogénito ainda devia ter ficado a “fermentar” mais um pouco, mas quis sair umas semanas mais cedo o que não o ajudou muito no início da amamentação, era muito sonolento tinha que o estimular constantemente e acorda-lo nas horas das mamadas para não perder peso para além dos 10%  que pode perder nos primeiros 10 dias. No entanto, fazia uma boa pega  e tinha bom poder de sucção, mamava 5-10 minutos e o que ingeria parecia ser suficiente,era calmo,dormia entre 4 a 5 horas e engordava entre 400-500 g por semana. Tive os mamilos dolorosos e macerados (muito vermelhos e dolorosos) durante alguns dias ,inclusive um dia o bebé bolsou leite rosa e eu entrei em pânico porque nem me apercebi que tinha uma fissura no mamilo e pensei que fosse outra coisa qualquer. Posso vos dizer que no segundo dia de pós-parto já tinha leite e não colostro como na maternidade e nem senti  a tão falada “subida” ou “descidas” do leite. Sim houve noites que tive que ir para o duche fazer massagens e retirar o leite que estava em excesso depois de ele ter mamado,também houve alturas que tive que retirar com o extractor eléctrico(usei o da Medela) e guardei no congelador  bastante leitinho (devidamente acondicionado em sacos e copos apropriados e rotulados) que mais tarde utilizei para papas.Resumindo dores praticamente nada,inseguranças poucas aliás acho que dos 3 foi a vez que mais segura me senti.Pus logo os pontos nos “is”com os familiares quanto aos palpites e tudo correu sobre rodas. O meu marido foi peça fundamental e tive todo o apoio que necessitei. “Alerta maridos”(Apoiem,ajudem,não critiquem). O Dinis mamou leite materno exclusivo até aos 4 meses. Na altura não se falava muito da exclusividade até aos 6 e por desconhecimento meu e aconselhamento da pediatra começamos a introdução dos alimentos mesmo ele aumentando bem de peso. Deixei de o amamentar aos 14 meses por ter que iniciar medicação incompatível com a amamentação e digo-vos que me custou mais a mim que a ele. Chorei bastante e ele depois disso só procurou mais uma vez ou duas e depois acabou por se esquecer

.

My firstborn still had to “ferment” a little more, but I wanted to leave a few weeks earlier which did not help him very early in the breastfeeding,he was very sleepy had to constantly stimulate him and wake him up at the time of the feedings to do not lose weight beyond the 10% you can lose in the first 10 days. However, it made a good handle and had good suction power, suck 5-10 minutes and what ingest seemed to be enough, was calm, slept between 4 to 5 hours and gained between 400-500g a week. I had my nipples sore and macerated (very red and painful) for a few days, even one day the baby pocketed pink milk and I panicked because I did not even realize I had a nipple fissure and I thought it was something else. I can tell you that on the second day of postpartum I already had milk and not colostrum like in the maternity and I did not even feel the so-called “rise” or “descent” of the milk. Yes there were nights that I had to go to the shower to massage and to remove the milk that was in excess after he had suckled, there were also times that I had to remove with the electric extractor (I used Medela) and I kept in the freezer quite a bit (properly packed in appropriate bags and cups and labeled) that I later used for porridge. Increasing pains practically nothing, insecurities few incidentally I think of the 3 was the safest time I felt.I put the points in the “is” with the relatives as to the guesses and everything ran on wheels. My husband was a key player and I had all the support I needed. “Alert husbands” (Support, help, do not criticize). Dinis breastfed exclusive breast milk until 4 months. At the time there was not much talk about the exclusivity until 6 and because of my lack of knowledge and advice from the pediatrician we started the introduction of food even though he gained a lot of his weight. I stopped breastfeeding at 14 months because of having to start medication incompatible with breastfeeding and I tell you that it cost me more than it did to him. I cried a lot and he after that only searched once or twice and eventually forgot.

Quando nasceu o David a experiência já era outra mas se querem a verdade os “macaquinhos no sótão” também eram mais,nesta altura trabalhava em Obstetrícia e os conhecimentos sobre amamentação eram mais profundos. O que acontece é que eu desta vez tinha um “mamão”, bebé de termo , espevitado e de muito alimento. Procurou o seio enquanto fazíamos contacto pele-a-pele e consegui perceber que fazia má pega! Conclusão, deixava-me marca de batom no mamilo e nessa noite mamou quase 3 horas seguidas, ok “Mea Culpa” eu sei, lixou-me os mamilos todos sim! Só o fiz porque 1° o Dinis era e é intolerante à lactose e tinha medo que este pudesse vir a ser, pelo que não queria dar leite artificial logo no 1° dia, 2° sabia que ele estava a fazer má pega logo não extraía a quantidade de colostro que necessitava, 3° sou defensora e promotora de aleitamento materno e por último eu suportei a dor. Não quero com isto dizer que tomei as decisões certas e que todas as mães deviam fazer o mesmo, mas sim tomei as decisões que na altura me pareceram as melhores e se fosse hoje talvez voltasse a repetir porque não me arrependo de nada. De manhã descobri porque fazia ele má pega…para além de não abrir muito a boca tinha o freio da língua completamente preso pelo que não conseguia projectar a língua para extrair o colostro. Conclusão, fissuras  muito dolorosas, medo e arrepios só de pensar nas horas das mamadas, para apimentar a coisa no dia que saímos do hospital lá veio a “subida” do leite e esta sim foi difícil, pois para além da dor nos mamilos a subida foi tal que nem os braços conseguia fechar, sobrevivi com muita calma mordi algumas fraldinhas de pano, sangrei e fiquei sem parte de um mamilo, ir para o duche não era pêra doce mas fiz tudo o que podia para que os mamilos cicatrizassem o mais rapidamente possível e tomei todas as precauções para evitar a mastite. Mais um vez a extração manual e com extrator elétrico foram aliados para não falar das conchas protectoras de mamilos, da lanolina e hidratação dos mamilos com leite materno.(Posso fazer um post com cuidados aos mamilos e prevenção de mastite)

 

When David was born the experience was already different but if you want the truth the “little monkeys in the attic” were also more, at this time I worked in Obstetrics and knowledge about breastfeeding were deeper. What happens is that this time I had a “glutton”, term baby, energetic and of much food. He searched for the breast while we made skin-to-skin contact and I could see that it made a bad handle! Conclusion, he left me with a lipstick  mark on the nipple and that night i nursed him for almost 3 hours in a row, okay “Mea Culpa” I know, he screwed my nipples! I only did it because 1 ° Dinis was and is lactose  intolerant and I was afraid that this one could be too, so I did not want to give artificial milk on the first day, 2nd I knew that he was making bad handles soon did not extract the amount of colostrum he needed, 3rd I iam a defender and promoter of breastfeeding and lastly I supported the pain. I do not want to say that I made the right decisions and that all mothers should do the same, but I made the decisions that at the time seemed to me the best and if it was today I might repeat it again because I do not regret anything. In the morning I found out why he made a bad handle … besides not opening his mouth too much, his tongue was completely locked so he could not project his tongue to extract the colostrum. Conclusion, very painful fissures, fear and shivers just thinking about the hours of feedings, to spice up the thing the day we left the hospital there came the “rise” of the milk and this yes it was difficult, because in addition to the pain in the nipples the climb it was such that my arms could not close, I survived very calmly I bit some cloth diapers, I bleeded and I was without part of a nipple, to go to the shower was not sweet pear but I did everything I could to make the nipples heal faster possible and I took all precautions to avoid mastitis. Once again the manual extraction and electric extractor were allied not to mention the protective shells of nipples, lanolin and hydration of the nipples with breast milk. (I can make a post with nipple care and prevention of mastitis)

DSC00574

O David foi crescendo aprendeu a mamar e toda esta fase passou, ele ganhava peso no entanto tinha cólicas no início da mamada e ás vezes durante toda a mamada, para ser sincera por vezes pensava que ele estava com fome(coisa que jamais devem pensar se querem ter uma amamentação de sucesso). Como achei que isto acontecia demasiadas vezes cheguei a oferecer-lhe leite materno que tinha congelado(acondicionado apropriadamente e rotulado com data de extracção) que ele recusou por biberão, por, copo e até seringa.Também comprei leite artificial que recusou. Enfim as dúvidas eram sempre muitas. Tive alturas de muito stress embora tentasse controlar, pois para além de um bebé tinha outro filho com 5 anos na altura, e que também precisava dos meus cuidados e atenção. A situação laboral do meu marido na altura estava o caos. De tal forma que chegou a passar semanas a trabalhar a horas de casa o que fez com que nas alturas de maior stress a produção de leite diminuísse. Fiz das “tripas coração” para não perder o leite porque sabia que o David queria mamar e não beber no biberão ou no copo ou beber outro leite que não fosse o meu e consegui sempre recuperar. Nessa altura era meu desejo fazer amamentação exclusiva até aos seis meses mas mais uma vez não me foi possível.

 

David was growing up, he learned how to be breastfed and this phase passed, he gained weight however had cramps at the beginning of the feed and sometimes throughout the feed, to be honest he sometimes thought he was hungry (something you should never think about if want to have a successful breastfeeding). As I thought this happened too many times I even offered him breast milk that had frozen (properly packed and labeled with date of extraction) which he refused by bottle, for, glass and even syringe. I also bought artificial milk that he refused too. Any doubts were always many. I had a lot of stress even though I tried to control it, because in addition to a baby, I had another, 5 years old son, who also needed my care and attention. My husband’s job situation at the time was a chaos. In such a way that he spent weeks working at home hours, which meant that milk production decreased in times of greater stress. I made “heart guts” not to lose milk because I knew that David wanted to suck and not drink in the bottle or the glass or drink other milk that was not mine and I always managed to recover. At that time it was my wish to have exclusive breastfeeding until six months, but again I could not.

 

 

No primeiro dia de trabalho pós licença de parto fui premiada com uma otite mais concretamente uma mastóidite que quase me levou para os anjinhos, sim não fui porque sou rija como um pêro e tive a sorte de ser acompanhada por um bom Otorrino (Obrigada DR. Ilídio Gonçalves) .Fiquei acamada em casa a fazer medicação endovenosa (na veia) compatível com a amamentação. Foi nessa altura que o meu leite deixou de ser suficiente e tive que começar a dar papa ao meu filho aos 5 meses e meio por estar bastante debilitada; Contudo não foi o fim do mundo e o importante é que estou cá para contar a historia porque a coisa estava mesmo preta. Mesmo assim o David mamou até aos 3 anos e 11 meses certos, e posso dizer que o desmame não foi fácil, mas foi natural como eu desejei, sem traumas para o David nem para mim e com muitos momentos de ternura.

 

On the first day of work after childbirth I was awarded an otitis more concretely a mastoidite that almost took me to the angels, yes it was not because I am rigid like a pear and I was lucky to be accompanied by a good Otorrino (Thank you DR. Ilídio Gonçalves). I was bedridden at home to make intravenous medication (in the vein) compatible with breastfeeding. It was then that my milk ceased to be enough and I had to start giving my son a porridge at 5 and a half months because I was very weak; But it was not the end of the world and the important thing is that I’m here to tell the story because the thing was really black. Even so, David was breastfed up to 3 years and 11 months straight, and I can say that weaning was not easy, but it was natural as I wished, without trauma to David or to me and with many moments of tenderness.DSC02169

Quanto ao petiz João a história é outra. Também nasceu de termo,mas uma “meia leca “de gente comparado com os irmãos. Muito espevitado ao início da mamada, mas lá está a pega também não era boa,fazia boca de passarinho e a língua também ficava muito atrás. Mamava 5 minutos e com muita sorte 10, mesmo estimulado não acordava nem por nada. No entanto só tive que acorda-lo para mamar algumas vezes. O que começou a acontecer é que como mamava pouco de cada vez ,queria mamar de hora a hora ou duas em duas até entrar nos eixos. Tinha que o manter a mamar o mais possível até ele conseguir fazer as 3 horas, não que me importasse de lhe dar de mamar, até porque o horário é livre e o bebé mama quando quiser, mas convínhamos que com 3 filhos e uma casa para orientar as 3 horas davam jeito. Os mamilos desta vez só maceraram não fizeram fissura e a “subida” do leite foi bem mais tolerável. Bem o sr João resolveu copiar o irmão David e teve cólicas a mamar até aos 3 meses(pelo menos eu achava que eram cólicas), e como era um cusco mesmo quando não tinha cólicas tirava a boca do mamilo para virar a cabecita ver de onde vinha a voz,o som, o barulho ver as luzes enfim… No primeiro mês aumentou razoavelmente de peso (ou seja sempre menos que os irmãos) e até aos 4 a coisa não era famosa mas ele não demonstrava sinais de fome,sempre fez bem xixi e cocó a pele hidratada as mucosas coradas e vitalidade nem se falava era e é uma “pulga eléctrica “. No Centro de saúde as enfermeiras também torciam o nariz ao peso do rapaz e comprei então uma latinha de leite,com o mesmo receio de este ser intolerante à lactose comprei um leite vegetal que o rapaz não gostou nem por nada. Bolsava o meu e o artificial,ah sim porque este rapaz esqueci-me de referir tem refluxo e por vezes tudo o que mamava ia fora o que também se reflectia no peso.Comecei a introduzir-lhe os sólidos aos 4 meses por este farrobodó todo, mas o rapaz teimava em não ganhar muito peso e continua… Bem mas isso é história para outro post se não ainda adormecem com tantas histórias que tenho para contar.

 

As for petit Joao, the story is different. He was also born of a term, but a little person compared to his brothers. Very attentive to the beginning of the feed, but there the handle was also not good, he made a bird’s mouth and the tongue was also far behind. He was breastfed 5 minutes and with a lot of luck 10, even stimulated did not wake up for nothing.However I only had to wake him up to eat some times.What began to happen is that as he ate little every time, I wanted to eat every hour I had to keep him sucking as much as possible until he could do it until 3 o’clock, not that I cared about breastfeeding all the time , because his breastfeeding time is free and he can eat whenever he wants, but we need agree that with 3 children and a home to guide the 3 hours where handy. The nipples this time only macerated did not crack and the “rise” of the milk was much more tolerable. Well, Mr. John decided to copy Brother David and had cramps to suckle him until he was three months old (at least I thought they were colic), and since it was a cusco even when he had no cramps he would take his mouth from his nipple to turn his head, came the voice, the sound, the noise to see the lights at last … In the first month it increased reasonably of weight (that is to say always less than the brothers) and until 4 months the situation was not pretty but he did not show signs of hunger, always peed and pooped well, the skin moisturized ,reddish mucous  and lets not  even talked about his vitality he is an “electric flea”. At the Health Center the nurses also twisted their noses at the boy’s weight and then bought a can of milk, with the same fear of being lactose intolerant I bought a vegetable milk that the boy did not like at all. I was holding my own and the artificial, ah yes because this boy forgot to mention has reflux and sometimes all that sucked was what was also reflected in the weight. I began to introduce the solids at 4 months after this “party” , but the boy stubbornly did not gain much weight and continues … Well but that’s a story for another post if you still did ot fall asleep with so many stories that I have to tell.

img_5954

Minhas queridas espero que não fiquem a pensar “coitada da rapariga” porque não é essa a mensagem que vos quero passar de todo, antes pelo contrário, se não me sentisse confortável certamente não teria continuado a amamentar,foram mais os momentos de prazer e alegrias.

Sou uma lamechas e muitas vezes em silêncio a olhar para eles a vê-los mamar as lágrimas corriam pela minha face de felicidade(também por efeito das hormonas malucas).

 

My darlings, I hope you do not think “poor girl” because this is not the message that I want to pass on everything, on the contrary, if I did not feel comfortable I certainly would not have continued to breastfeed, more were the moments of pleasure and joy .I am a cry baby and often silent while watching them get fed, the tears run down my face of happiness(also because of the crazy hormones).

 

Amamentar para mim é mesmo um acto de amor, é uma partilha, cumplicidade, união, toque,cheiro, um sentir um sem fim de sentimentos indescritíveis que só quem amamenta ou amamentou entende. Sinto mesmo que fortalece os laços mãe-bebé. Não quero ferir susceptibilidades de todo e quem não amamentou os seus filhos e leu até ao fim este post espero não as ter feito sentido culpadas por não terem tido sucesso nesta fase, não é por isso que amam menos os vossos filhos e vice-versa. O meu intuito com isto é puder ajudar nem que seja apenas uma pessoa que tenha tido a paciência para ler tudo até ao fim e que esteja a passar por algumas destas tormentas. Força mamã! Não está sozinha. Para finalizar vou deixar-vos alguns conselhos que para mim são fundamentais para uma amamentação de sucesso

  • Tentar repousar sempre que o bebé esteja a dormir;
  • Fazer uma alimentação variada e não saltar refeições;
  • Ingerir pelo menos 1,5 litros de água ;
  • Beber  bastantes sumos de fruta e leite;
  • Evitar situações de stress;
  • Procurar um profissional de saúde se tiver dúvidas (médico ou enfermeiro)

Sentir-me-ia realizada como me senti muitas vezes quando trabalhei na Obstetrícia se conseguisse dar força  a quem sente que está a ser incompreendida. Não está sozinha, peça ajuda e hoje em dia os Cantinhos da amamentação são mais que muitos, embora ainda haja muito trabalho a fazer lá encontrará conselheiras de amamentação que são enfermeiras qualificadas nesta área.

 

Breastfeeding for me is really an act of love, it is a sharing, complicity, union, touch, smell, an endless feeling of indescribable feelings that only those who breastfeed or breastfeed understand. I really feel that it strengthens the mother-baby bond. I do not want to hurt feelings at all and who did not breastfeed their children and reading this post until the end, I hope not to have made anyone guilty for not having been successful at this stage, that is not why they love their children less and vice versa. My intention with this is to be able to help even if it is just a person who has had the patience to read everything until the end and is going through some of these storms. Write a review! You are not alone. To conclude I will leave you some advice that for me are fundamental for successful breastfeeding:

  • Try to rest whenever the baby is asleep;
  • Do a varied food and do not skip meals;
  • Take at least 1.5 liters of water;
  • Drink plenty of fruit juices and milk;
  • Avoid stressful situations;
  • Seek a health professional if you have questions (doctor or nurse).

I would feel fulfilled as I felt many times when I worked in Midwifery if I could give strength to those who feel they are being misunderstood. She is not alone, ask for help and today the Breastfeeding Corner is more than many, although there is still much work to do there will find breastfeeding counselors who are qualified nurses in this area.

 

 

Se quiserem mais destes posts ou tiverem alguma dúvida não exitem em contactar-me, podem comentar ou enviar mensagem privada, terei todo o gosto em ajudar no que puder e estarão a dar-me força e  motivação para continuar a escrever mais. Se gostaram deste post por favor não se esqueçam de fazer gosto na página do blog e partilhem com com os vossos amigos e conhecidos.

Grata por estarem ai.Fiquem bem.Beijinhos.

 

If you want more of these posts or have any questions do not hesitate to contact me, you can comment or send private messages, I will be happy to help you and you will give me strength and motivation to continue writing more. If you like this post please do not forget to like it on the blog page and share it with your friends and acquaintances.

Thank you for being there.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s